Realizou-se no passado dia 7 de janeiro, por video conferência, o workshop “Turismo, valorização dos recursos territoriais e desenvolvimento local”, integrado no projeto Viseu 2030 – 99 ideias para o futuro, e quecontou com cerca de 460 participantes convidados em representação de várias organizações, associações, universitários, empresas e especialistas convidados que apresentaram várias propostas para a estratégia de médio prazo para Viseu.

O workshop contou com a abertura pelo Presidente da Câmara Municipal de Viseu, António Almeida Henriques, que recordou ser este um exercício de cidadania destinado a “perceber onde queremos estar em 2030 e fazer um balanço do trabalho realizado nos últimos sete anos”.

O Vereador Jorge Sobrado, que dirigiu os trabalhos, considera que “Viseu será um destino turístico cultural, sustentável e de excelência, seguro e criativo, relevante no plano nacional e crescentemente reconhecido no plano ibérico”.

Defendeu este Vereador que a estratégia de médio prazo para Viseu deve assentar nos atributos de “Cidade-Jardim, de Cidade de Viriato e de Cidade Vinhateira”. Viseu registou em 2019 uma taxa média de ocupação hoteleira superior à verificada na região Centro e em Viseu-Dão-Lafões, “O nosso objetivo deverá ser aproximar este indicador dos 2 dias e superar os 40% de taxa de ocupação”.

O turismo apresenta hoje novas tendências de evolução e Viseu encontra-se muito bem posicionado para tirar partido dessas novas tendências”, afirmou Pedro Machado, Presidente da Turismo Centro de Portugal no decurso do workshop “Turismo, valorização dos recursos territoriais e desenvolvimento local”.

A segurança e higiene, novos destinos mais restritos, reservas last minut, viajar em teletrabalho, a procura da adrenalina, a ideia simples de que a viagem de sonho se pode realizar, descobrir o Portugal do interior, o compromisso com a sustentabilidade ambiental, a fuga à rotina com a procura das tradições, da identidade e da cultura e estadias mais prolongadas, são para Pedro Machado as novas tendências de evolução do turismo pós-covid e que Viseu deve ter em conta na definição da sua estratégia para 2030.

Cristina Barroco, docente do Instituto Politécnico de Viseu e especialista convidada para participar no workshop, identificou o que considera serem as oportunidades que Viseu deve aproveitar, defendendo que “o sucesso do setor dependerá de todos os interessados e da sua capacidade de trabalharem proactivamente em conjunto”.